As atividades industriais são responsáveis, todos os dias, pela emissão de uma série de substâncias, muitas das quais prejudicam o meio ambiente. Dessa forma, é importante tratar dos resíduos e efluentes gerados por esse setor de forma especializada e satisfatória.

Por isso, as estações de tratamento e as normas voltadas para a preservação do meio ambiente são mais do que indispensáveis. Mas você conhece as etapas do tratamento? Quais os tipos de licenciamento?

No artigo a seguir, confira mais informações sobre o tema!

Estações de tratamento

As Estações de Tratamento de Efluentes contam com uma infraestrutura especial, sendo constituída de variadas unidades de tratamento para a remoção de cargas poluidoras no efluente final.

Cada uma dessas unidades é responsável por um procedimento, que pode variar conforme as técnicas utilizadas para a separação.

Os processos podem, portanto, ser classificados como físicos, químicos ou biológicos. No primeiro caso, há uma segmentação física em que a carga é removida do efluente, enquanto que, no caso dos tratamento químicos, a substância sofre reações com produtos adicionados para que se purifique.

Seja em uma grande estação ou mesmo em uma Ete compacta, é preciso lidar com demandas pela otimização máxima do espaço, todos os efluentes devem se transformar em substâncias com o maior potencial de reuso possível, sem falar que os resultados finais devem estar de acordo com todas as normas ambientais vigentes com relação a esse tipo de atividade.

O funcionamento de uma estação de Tratamento de águas residuais industriais se dá, portanto, a partir do condicionamento das substâncias a variados procedimentos de purificação e limpeza.

Sem isso, seria impossível que o meio ambiente, com toda a sua diversidade em flora e fauna, conseguisse sobreviver às emissões desse setor.

Nesse contexto, o tratamento correto e de qualidade é mais do que uma obrigação, é um compromisso em nome da preservação da vida no planeta. Vale lembrar, portanto, que cada etapa deve ser conduzida de forma extremamente qualificada, garantindo os resultados desejados.

Etapas de tratamento

Existem diferentes etapas do tratamento de agua e elas se sequenciam conforme uma hierarquia de processos que são desenvolvidos com a finalidade de promover o mais elevado desempenho possível no que se trata de purificação. São elas:

  • Tratamento preliminar;
  • Tratamento primário;
  • Tratamento secundário;
  • Tratamento de lodo;
  • Tratamento terciário.

No tratamento preliminar, os materiais que estão em suspensão no efluente são removidos por meio do uso de grelhas e gradeamentos.

Canais de areia também podem ser utilizados para que essa separação seja feita de forma eficaz e prática, processo chamado de desarenação.

O tratamento primário, por sua vez, acontecem os processos classificados como químicos e físicos, no qual é executada a equalização da carga e, em seguida, sua neutralização em um tanque.

A adição de produtos químicos gera uma série de reações que removem os contaminantes. Por meio de equipamentos como floculadores e decantadores, é possível que as partícula líquidas sejam corretamente separadas das físicas.

A remoção da matéria orgânica é feita por meio de procedimentos biológicos, que fazem parte do tratamento secundário.

São procedimentos que podem ser tanto aeróbicos quanto anaeróbicos. Na etapa seguinte, é realizado o adensamento do lodo, que acontece nos flotadores e também nos adensadores.

Por fim, o tratamento terciário é feito quando há uma demanda por remoções adicionais ou no caso de recirculações em sistemas fechados.

Também conhecida como polimento, essa etapa é um recurso para limpeza dos materiais descartados em muitos segmentos industriais.

Licenciamentos

Os licenciamentos são importantes para garantir que as operações humanas, sejam elas de cunho particular, como no caso das construções de residências, ou de cunho corporativo, como as indústrias, não vão prejudicar o meio ambiente e ocasionar em uma série de problemas ecológicos.

Existem diferentes tipos de Licenciamento ambiental campinas e eles são segmentados de acordo com a natureza da intervenção.

Desse modo, temos:

  • Licença prévia;
  • Licença de instalação;
  • Licença de operação;
  • Licença de pesquisa sísmica.

Laudos de vistoria

Os laudos fornecidos pelos órgãos competentes de fiscalização ambiental e estrutural são indispensáveis em qualquer tipo de atividade, ainda mais aquela que, em algum nível, possa interferir no meio ambiente ou na saúde da população próxima.

Desse modo, é obrigatório agendar junto ao Corpo de Bombeiros e mediante os documentos necessários a vista de uma equipe para verificação.

A partir da confirmação de que o espaço está apto para uso seguro, o laudo avcb (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) é providenciado.

Vale lembrar que cuidar do meio ambiente é preservar a vida e que todos os tipos de edificação precisam oferecer conforto, aconchego, como também segurança para todos.

Fontes:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Licenciamento_ambiental

https://www.ebah.com.br/content/ABAAAgHiYAA/etapas-tratamento-efluentes

http://www.cta-es.com.br/o-que-fazemos/53/Gestao-de-Estacoes-de-Tratamento-de-Efluentes.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *