Atualmente, o tratamento de resíduos é algo que está captando muita atenção e verba do mercado. Isso porque as empresas estão vendo que além de ajudar o meio ambiente elas conseguem ter um retorno financeiro ao fazer o reaproveitamento da água e trazendo a conscientização para seu processos. 

Desse modo, elas apresentam um menor gasto com as empresas de distribuição, além de muitas usarem isso como uma forma de marketing, se posicionando como empresas sustentáveis.

Vamos entender durante este artigo como é feito o tratamento dos efluentes, de modo a otimizar a produção e reduzir os custos em seu negócio.

Como funciona a coleta de resíduos?

coleta de resíduos industriais deve começar com a coleta seletiva dentro da empresa, fornecendo para os funcionários a opção de depositar cada lixo no local correto, fazendo com que o trabalho final de reciclagem seja facilitado.

Além disso, em certas indústrias existem resíduos químicos e perfuro-cortantes que precisam ser identificados e separados dos demais.

Como eles oferecem certo perigo, é imprescindível fazer a separação para facilitar todo o processo de coleta, do começo ao fim, além de evitar contaminações desnecessárias ou ainda o risco de prejudicar a integridade do colaborador. Assim, é importante sempre realizar a separação de forma correta

De modo geral, existem dois tipos principais de resíduos que a indústria descarta, sendo eles os resíduos sólidos e os efluentes. O segundo pode ser definido como todo tipo de líquido ou gás contaminado de alguma forma que é liberado.

Os sólidos são geralmente enviados para alguma coleta orgânica e os efluentes podem ser tratados no próprio local com alguma estação compacta de tratamento, uma opção muito viável devido ao preço das estações ser acessível.

Para garantir que o descarte desses resíduos seja feito de forma correta o MMA (Ministério do Meio Ambiente) e o IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) criaram uma forte regulamentação que explica como todo o tratamento deve ser feito, desde o passo inicial até o final, do transporte até o descarte do material.

Resíduos industriais de classe I

Esse tipo de resíduo é considerado perigoso e deve ter um tratamento diferente e muito mais atencioso que os demais.

Entram nesse tipo de resíduo todo tipo de material que apresente:

  • Alta combustão;
  • Compostos tóxicos a saúde ou ao meio ambiente;
  • Perigo de corrosão;
  • Algum lado pontiagudo.

Isso acontece para prevenir que os danos gerados a natureza ou qualquer pessoa que venha a manusear esses materiais sejam reduzidos ao máximo.

Como gerenciar esses resíduos?

gerenciamento de resíduos industriais deve ser feito de forma a diminuir a quantidade final de resíduos, com o reaproveitamento de peças, a reciclagem de produtos e o descarte correto dos materiais.

É considerado um resíduo todo tipo de material que sobra e não faz parte do objetivo final daquela produção. Vale mencionar que esse é o maior meio de poluir a água e/ou o ar.

Por conta disso, o gerenciamento é tão importante. No processo o que conta é pensar de forma estratégica e compreender a linha de produção.

Existem empresas que optam por reciclar todo o material quando ele não é utilizado em um setor ao repassá-lo para alguma outra área que teria melhor proveito do item.

Já outras empresas optam por deixar todo o processo de reciclagem para alguma área especializada, que não gera tanto lucro mas auxilia com o cuidado ao meio ambiente.

Licenciamento ambiental, como obter?

O licenciamento ambiental é uma forma do governo prevenir que empresas e instalações não se espalhem por áreas que podem comprometer de forma grave alguma espécie ou até mesmo a vegetação nativa.

Além disso, o licenciamento regula as operações que mexem com produtos que podem danificar o ar e a água presente no local.

A licença tem que ser acompanhada desde o planejamento inicial do empreendimento, antes de sair da planta, e é dividido em três etapas:

  1. A licença prévia (LP) – Comprova a viabilidade da construção e também das operações daquele ramo;

  2. Licença de instalação (LI) – Permite a execução da construção;

  3. Licença de operação (LI) – Etapa que permite o início das operações do estabelecimento.

Vale ressaltar que cada etapa é acompanhada pelo IBAMA.

Quais materiais usar para o transporte dos efluentes?

Os tubos de aço são as peças mais recomendadas para o transporte de resíduos.

Isso ocorre porque eles podem ser conectados de forma a construir uma tubulação adequada para o encaminhamento do material, formando uma cadeia de transporte adaptável.

Mais ainda, esse item permite maleabilidade na estrutura da tubulação, o que facilita modificações posteriores.

Nesse contexto, é preciso ter atenção no tipo de tubo a utilizar, sendo que o tubo galvanizado preço é o mais acessível e que apresenta maior resistência a corrosões provenientes desses resíduos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *