A indústria é um dos segmentos que mais movimentam a economia. Se por um lado, isso é bom para o desenvolvimento, por outro é preciso refletir sobre a exploração dos recursos naturais.

Afinal, toda atividade industrial pode gerar impactos no meio ambiente, caso alguns processos, como o Tratamento de água e efluentes, não sejam realizados de forma adequada.

Neste contexto, estudos revelam que a indústria agrícola, por exemplo, é responsável por 70% do consumo mundial de água. A informação é da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura).

Essa porcentagem expressiva só revela o quanto a atividade industrial precisa se preocupar com as questões ambientais.

Afinal, não só na indústria agrícola como em outros segmentos, o uso da água e outros recursos naturais gera uma série de resíduos (como os efluentes) que precisam ser tratados.

O Tratamento de água e efluentes, por exemplo, serve para minimizar a poluição dos rios (e da água que as pessoas bebem, usam para cozinhar e outras coisas).

Essas estratégias são fundamentais não só para a indústria ser reconhecida pela responsabilidade socioambiental, mas também para a qualidade de vida do mundo de forma geral.

Atualmente, o Brasil conta com sistemas que monitoram a qualidade da água potável a nível nacional. Segundo especialistas no assunto, esses sistemas detectam apenas 27 substâncias de 307 agrotóxicos registrados no país.

Diante disso, entender como Empresas de Tratamento de Efluentes podem ajudar e quais projetos e serviços são necessários para melhorias é importante. Se você tem dúvidas sobre o assunto, esse conteúdo foi feito especialmente para te ajudar!

Tratamento de água e efluentes: como funciona

Não importa se os efluentes são gerados na indústria ou no ambiente doméstico. Todo resíduo lançado na natureza gera contaminação do solo e da água, pode matar as espécies animais e trazer doenças para a população.

Por isso, é importante tratar esses efluentes da forma correta. Mas como saber quais as melhores técnicas em grandes indústrias, nos restaurantes ou no ambiente doméstico? Confira os tópicos e descubra algumas possibilidades.

Efluentes industriais x sustentabilidade ambiental

De acordo com a legislação ambiental brasileira, toda indústria precisa obrigatoriamente tratar os resíduos e efluentes gerados.

Por isso, é importante que as fábricas contem com Empresas de Tratamento de Efluentes para cuidar do processo. Geralmente, esse processo envolve fatores como:

  • Análise dos impactos ambientais causados pela indústria;
  • Solicitação e emissão de laudos para identificar as necessidades ambientais;
  • Instalação de equipamentos para tratamento;
  • Uso de estações de tratamento (no formato industrial ou compacto);
  • Aplicação de processos químicos, físicos e biológicos para tratar  efluentes.

Lembre-se: quanto mais detalhado for o Projeto de licenciamento ambiental da indústria (ou os projetos), melhores serão as técnicas para tratar do destino desses resíduos.

Por isso, é importante contar com um profissionais capacitados para identificar as particularidades das atividades industriais dentro da área ambiental da empresa.

As licenças ambientais são autorizações exigidas pelos órgãos de fiscalização ambiental conforme a atividade da indústria. Há determinações que se adequam para vários segmentos, regidas pelo Ministério do Meio Ambiente.

Mas tudo é variável conforme o ecossistema da empresa e a forma de exploração ambiental dos recursos naturais. Para mineradoras, por exemplo, há um jeito específico de elaborar um Projeto de Licenciamento ambiental, assim como há variáveis quando se pensa em uma indústria têxtil.

Restaurantes e comércios

Restaurantes e lanchonetes também geram efluentes. O resto de comida, a lavagem dos alimentos, as sobras em líquidos, gases ou gorduras são comuns nessa área.
E tudo precisa ser tratado adequadamente. O uso de estações compactas de tratamento, equipamentos de compostagem dos orgânicos e outras práticas ajudam nessa missão.
Em conjunto ou separadamente, todas essas técnicas contribuem para a natureza e para a sustentabilidade ambiental dos estabelecimentos.

Efluentes no ambiente doméstico

Todo lixo produzido nas residências, seja de forma orgânica (como a comida) ou na forma de dejetos também precisa de destinação adequada.

Além da coleta seletiva (no caso do lixo orgânico e do reciclável), é importante tratar o esgoto doméstico (formado pelos dejetos e pela forma como as pessoas usam a água).

As redes de tratamento urbanas são fundamentais nesse sentido para garantir a qualidade do saneamento basico. No entanto, esse cenário ainda é uma realidade ainda desafiadora no Brasil.

Segundo o Instituto Trata Brasil, apenas 45% do esgoto gerado é tratado no país. O que significa que mais da metade dos efluentes é despejado a céu aberto.

As consequências disso são: aumento das doenças, contaminação da água, ausência de qualidade de vida, além dos problemas ambientais. Para minimizar esses malefícios, a criação de projetos e alternativas de tratamento são úteis. Confira algumas soluções:

  • Uso de fossas sépticas (no caso de áreas rurais);
  • Consultoria ambiental para as comunidades;
  • Projetos de educação ambiental;
  • Uso de filtros biológicos e alternativos.
Ao investir no tratamento de resíduos, a qualidade de vida aumenta. Com isso, os danos ambientais e prejuízos reduzem e todos ganham: o meio ambiente e os ecossistemas e a vida das pessoas. Por isso, é tão importante avançar no tratamento dos efluentes e na qualidade do saneamento basico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *