A agricultura é uma atividade essencial para a humanidade. Afinal, ela é a responsável pela geração de boa parte dos alimentos produzidos pela população.

Da mesma maneira, ela gera insumos que são usados para alimentar o gado, permitindo a produção de carnes, leites e queijos.

O problema é que ela é um processo muito mais complexo do que muitas pessoas imaginam. Além da preocupação com o meio ambiente e com a sustentabilidade, ela envolve a preparação do terreno que receberá as sementes. Do mesmo modo, é preciso contar com maquinário agrícola apropriado para tornar a produção mais eficiente.

Quer aprender mais sobre o assunto? Então confira, a seguir, algumas medidas necessárias para preparar um terreno para o plantio com segurança e eficiência:

  1. Gerenciamento de áreas contaminadas

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, entende-se áreas contaminadas por “área, terreno, local, instalação, edificação ou benfeitoria que contenha quantidades ou concentrações de quaisquer substâncias ou resíduos em condições que causem ou possam causar danos à saúde humana, à natureza ou a outro bem a proteger, que nela tenham sido depositados, acumulados, armazenados, enterrados ou infiltrados de forma planejada, acidental ou até mesmo natural”.

Em outras palavras, são terrenos que foram afetados por algum elemento, tornando-os tóxicos e potencialmente perigosos à saúde pública.

Por conta disso, antes de começar o plantio, é preciso investir no gerenciamento de áreas contaminadas. Trata-se de um conjunto de técnicas que visam identificar quais são as zonas afetadas por elementos tóxicos, bem como verificar se há alguma medida que possa ser tomada para tornar o terreno viável para o uso novamente.

O problema é que, em alguns casos, o custo dos procedimentos necessários para tal é muito mais alto do que o orçamento do plantio pode comportar. Nessas situações, o melhor a se fazer é procurar outro local para plantar.

  1. Revolver a terra

Por mais simples que isso pareça, revolver a terra que será plantada é uma medida muito importante para melhorar sua fertilidade.

Neste procedimento, são usados tratores e máquinas agrícolas com o objetivo de remexer o solo, melhorando sua oxigenação e permitindo que os nutrientes que serão aplicados cheguem a mais camadas. Consequentemente, o plantio dará mais frutos e, assim, será mais eficiente.

  1. Fertilização

Por mais que revolver a terra seja uma boa ideia para melhorar sua fertilidade, este ato, por si só, não é suficiente para assegurar a máxima produtividade da lavoura.

Assim, também é interessante investir no uso de fertilizantes, que são substâncias cuja função é nutrir o solo. Entre os tipos mais usados pela agricultura brasileira, estão:

  • Fertilizantes nitrogenados;
  • Fertilizantes fosfatados;
  • Fertilizantes potássicos;
  • Esterco;
  • Adubo verde.

Vale ressaltar que, devido à preocupação crescente da população com a sustentabilidade, os chamados fertilizantes orgânicos têm assumido uma posição de mais destaque no mercado, por não serem químicos criados artificialmente, e, assim, não agredirem a natureza.  Nesta lista, os dois últimos fazem parte deste rol.

  1. Uso dos equipamentos corretos

Itens como uma colheitadeira, um trator e até mesmo uma pequena aeronave são de uso comum em lavouras Brasil e mundo afora.

O motivo disso é que, assim como em outros segmentos econômicos, o seu uso poupa tempo e recursos dos profissionais envolvidos, permitindo que eles se concentrem em atividades onde a sua atuação é imprescindível.

Entretanto, não é qualquer equipamento que funcionará bem em qualquer lavoura: é preciso contar com modelos que sejam, ao mesmo tempo, econômicos e eficientes. Da mesma maneira, ele tem que ter uma capacidade adequada ao trabalho que será realizado.

Quando for necessário fazer a troca de componentes, é melhor optar pelos indicados pelos fabricantes, seja no caso de peças para tratores agrícolas ou no de colheitadeiras, passando por aeronaves de uso agrícola. Por fim, também é importante certificar-se de que a manutenção dos itens está em dia.

  1. Planejamento da remediação ambiental

Apesar do esforço feito para que uma lavoura seja sustentável, é possível que, mesmo assim, haja um certo nível de impacto ambiental.

Portanto, antes mesmo de começar o plantio, é interessante que os responsáveis planejem ações para neutralizá-lo. Em outras palavras, é preciso pensar na remediação ambiental.

Nesse caso, a melhor opção é contar com profissionais qualificados, da área de biologia e da engenharia ambiental. Eles serão capazes de analisar o impacto e de propor medidas para neutralizá-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *