As plantas para lagos ornamentais os deixam muito mais bonitos. No entanto, sua função não é apenas decorativa, pois elas são indissociáveis do equilíbrio do lago, ao manterem o ambiente aquático claro e saudável.

Atuando como filtro para lagos natural, as plantas eliminam e até diminuem a utilização de materiais químicos, como o cloro. Isso sem falar que servem de alimento para peixes e outros animais.

Tais plantas também melhoram a oxigenação da água, contribuindo para que ela não fique muito esverdeada.

Enfim, a planta, assim como a água, representa vida. Mas, para saber quais devem ser colocadas no seu lago é preciso primeiro entender o papel e as necessidades de cada uma delas.

Descubra as plantas essenciais para o seu lago no artigo a seguir:

Tipos de plantas para lagos ornamentais

Quando falamos de plantas para lagos ornamentais, nos referimos a diversos tipos, cada um com suas peculiaridades e funções. 

Basicamente, elas são classificadas de acordo com suas características, podendo ser flutuantes, submersas, submersas com folhas emersas, palustres, marginais e anfíbias. Vejamos cada uma delas:

1. Flutuantes

Como o nome sugere, são as que permanecem na superfície da água, como os aguapés, as alfaces-d’água, as marrequinhas e as lentilhas. Elas contribuem para criar sombra na água e, assim, limitar o seu aquecimento.

Além disso, como elas geralmente se desenvolvem rápido, elas removem os nutrientes da água, o que as tornam muito eficazes para combater a proliferação de algas.

Em contrapartida, são alimentos para as carpas e, por isso, devem ficar separadas delas. Caso contrário, podem causar entupimento dos filtros, pois os peixes comem as raízes sujando a água.

2. Submersas

Ao contrário das flutuantes, as submersas ficam completamente dentro d’água e fazem parte do grupo a elódea, a valisnéria e a cabomba. 

Na prática, elas melhoram a qualidade de vida de toda a fauna do lago, pois produzem oxigênio e absorvem dióxido de carbono e energia, limitando o aquecimento da água e o desenvolvimento de algas.

3. Submersas com folhas emersas

Fazem parte do grupo as ninféias e a lótus. Sua floração exuberante é um espetáculo estético à parte.

Contudo, além de belas, elas são também exigentes: precisam de sol, calor, água calma e profundidade, uma vez que devem ser plantadas em grandes vasos com substrato fértil e ainda deixar uma coluna de água de 20 a 30 cm.

4. Palustres e marginais

Os dois tipos estão juntos justamente por ser fácil confundi-los. Enquanto as plantas do tipo marginal preferem locais rasos e são muito buscadas pelos animais silvestres como abrigo, as palustres são típicas de lugares encharcados. 

O que acontece é que muitas plantas palustres acabam se comportando como marginais e indo para a borda dos lagos.

Fazem parte do grupo: 

  • Papirus-gigante;
  • Papirus-anão;
  • Sombrinha-chinesa;
  • Cavalinha;
  • Junco;
  • Taboa;
  • Lírio-do-brejo;
  • Copo-de-leite.

Elas se desenvolvem tanto com sol forte quanto em sombra parcial e são bastante usadas para filtro de plantas.

Lembre-se que elas devem ser plantadas em vasos para que se possa controlar seu crescimento e não esqueça de colocar pedras sobre o substrato dos vasos para evitar que os peixes façam a festa por ali. 

5. Anfíbias

Uma planta anfíbia, assim como os animais dessa natureza, vive entre dois ambientes: ela tem uma parte de seus órgãos imersos na água, geralmente as raízes; e uma parte aérea que fica fora da água. 

Por causa dessa característica, funcionam como uma bela decoração, uma vez que suas flores flutuam sobre o lago.

Muito usadas em aquários, elas preferem sombra e meia sombra e podem viver na água como as plantas aquáticas, mas também se adaptam ao solo pantanoso ou simplesmente úmido. Além disso, toleram grandes variações no nível da água.

Entre os exemplos de plantas anfíbias, temos: anubias, eleocáris, lírio-da-paz, musgo-de-java, samambaia d’água e singônia. 

Atenção quando colocá-las no lago, é preciso usar a sombra de plantas, árvores e outros elementos, pois elas são muito frágeis à exposição solar. 

A variedade de plantas para lagos ornamentais é muita. Por isso, antes de ir enchendo seu lago com elas de forma aleatória, leve em conta a função de cada uma e sua harmonia com o jardim, a casa e o próprio lago. 

Para quem não tem lago, mas tem uma piscina, é possível conferir essa matéria sobre como transformar piscina em lago e já pensar nas plantas que irão habitá-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *