ambiente

Há muito tempo a natureza vem demonstrando, por meio de alterações climáticas, em que a poluição do ambiente atingiu níveis que precisam ser revistos pela humanidade.

O equilíbrio dos ecossistemas, os cuidados com a fauna e a flora, por todos os continentes, precisa ser restabelecido, e isto vai depender da ação de governos e da própria população, em um trabalho mútuo.

O avanço dos grandes centros urbanos, desmatando florestas e desestruturando o ecossistema, precisa ser revisto, para que a preservação ambiental seja colocada em pauta em todos os níveis, para a contribuição conjunta entre fábricas, indústrias e a própria civilização.

Trabalho mútuo permite mundo melhor

As indústrias, grandes agentes poluidores, há muitos anos atrás, agora estão revendo os conceitos de preservação do meio ambiente, aplicando diferentes processos de recuperação da fauna e da flora, nos limites onde estão instalados.

Muitas já possuem uma estação de tratamento de efluentes, que permite a reutilização da água que passa por processo industriais, para que retornem à natureza com características límpidas.

E que podem ser reutilizadas em diferentes espaços, como encanamento para irrigação de solo, lavagem de máquinas e veículos, e até mesmo em vasos sanitários.

Para que seja voltada ao consumo humano, as empresas precisam realizar a análise de água potável, para que possa ser disponibilizada para a higiene pessoal e preparo de alimentos.

Este tipo de verificação também deve ser feita nas indústrias, principalmente no setor alimentício, para que atenda às características próprias da água, com condições ideais de consumo.

Aprovado após análises laboratoriais, a água pode ser aplicada em diferentes setores, como indústria, e em ambientes civis, como caixas d’água e piscinas.

Reciclagem ampla: parte da solução do meio ambiente

As empresas, com todos os trabalhos dedicados à preservação do meio ambiente, por meio de funcionários e ações contundentes, e a população, com o descarte regular de resíduos sólidos recicláveis, e o despejo dos materiais inservíveis em locais apropriados, já contribui bastante, para um mundo melhor.

Ainda assim, é preciso fazer mais, e criar uma consciência ambiental em diferentes setores, entre autarquias públicas e organizações civis.

A educação voltada para a área do meio ambiente, com cursos específicos, desde os anos iniciais, nas escolas, torna-se um projeto abrangente e bastante importante para os cuidados com a mãe natureza.

Os trabalhos realizados com materiais recicláveis, como latas de alumínio, papéis e plásticos podem apresentar uma nova visão, sobre o reaproveitamento de diferentes matérias-primas, com a transformação em objetos que podem ser adaptados ao dia a dia.

O uso racional de produtos, indicando a importância da preservação sobre o consumismo exacerbado, pode indicar um futuro que se preocupa com as consequências das ações colocadas em prática nos dias atuais.

A indicação de que pequenos gestos, como os cuidados com a fauna e a flora, não jogar lixo no chão, e a redução de consumo de água e energia elétrica, podem fazer a diferença no meio ambiente.

É um passo para que a humanidade não sofra impactos na ações da natureza, como mudanças climáticas e precarização de rios, mares e lagos. Outras ações que podem ser colocadas em prática, e que não custa nada à população, são:

  • Evitar desmatamento ou atiçar fogo em mata;
  • Descarte regular do lixo doméstico;
  • Não obter animais silvestres;
  • Reutilizar, reaproveitar e reciclar o que for possível;
  • Comprar somente o necessário.

Criar o hábito de separar o lixo doméstico, em lixeiras específicas para vidro, papel, material ferroso e plástico, ajuda muito a indústria verde, representada pela empresa de reciclagem, que pode transformar estes materiais em novos produtos, e voltar para o público consumidor sem perceber que a fabricação foi feita com material reciclado.

Há produtos que precisam ter o descarte correto, para não prejudicar os aterros sanitários, poluindo lençóis freáticos com elementos químicos que são muito prejudiciais à natureza.

No caso da bateria tracionária, que pode ser empregada em veículos elétricos, como paleteiras, empilhadeiras e carrinhos de golf, por exemplo, é preciso empregar a logística reversa.

Empregado na reciclagem de pilhas, baterias e lâmpadas, e até mesmo em óleo de motor, empresas especializadas realizam a coleta destes materiais e fazem o desmonte e a separação de cada material componente do objeto.

Desta forma, não corre-se o risco de poluição e contaminação de metais pesados junto à natureza, dando o correto encaminhamento a cada peça separada, e que pode ser reciclada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *