A implantação de medidas que atendam a organizações de proteção ao meio ambiente, em todos os setores da economia, ajudam de uma maneira direta, em meio a tantos outros modelos de compensação, a retornar à natureza o que lhe pertence.

Mesmo que o ser humano precise da matéria-prima para fabricar produtos de caráter benéfico, é preciso entender que alguns lugares estão saturados, e a própria humanidade precisa reagir, de forma positiva, para que continuemos a viver, aproveitando tudo que a natureza proporciona.

Mercado enxerga novo modelo de consumo

Mesmo com o crescimento populacional, alguns países já utilizam, de maneira sustentável, a produção e o consumo de matéria-prima que provém da natureza.

Desta forma, atende à necessidade de produção de alimentos, tanto comida quanto bebida, para a população, com investimento em pequenos produtores, que encontraram uma maneira de fornecer os bens de consumo diretamente do campo para a mesa do consumidor.

Por outro lado, a indústria de massa, que gera milhões de empregos, de forma direta e indireta, está encontrando um novo mercado na implantação da economia verde, em que a sustentabilidade se torna um novo padrão de fornecimento de matéria-prima, trabalhando a logística reversa, em diversos materiais, como pneus, lâmpadas, baterias e pilhas, por exemplo.

Ampliando os negócios com empresas de reciclagem, o setor industrial começa a entender que é possível reaproveitar todo o material que é descartado, principalmente vidro, metais, papel e plástico.

Os governos começam a incentivar os cidadãos a praticar a coleta seletiva doméstica, separando o que pode ser reaproveitado, de materiais inservíveis, como restos de comida, e papéis utilizados para higiene pessoal.

Todo o restante, como embalagens de shampoo, pasta de dente, embrulho de sabonete, entre tantos outros, podem ser reaproveitados, em todo um círculo de reaproveitamento.

Com este pensamento de reutilização para os materiais principais, que podem, e devem, ser reaproveitados por todo o setor econômico, a população se beneficia de diferentes maneiras, como:

  • Melhora da qualidade de vida;
  • Conservação do meio ambiente;
  • Economia de matéria-prima advinda da natureza;
  • Aplicação de educação ambiental em todos os setores.

Até a implantação de uma estação de tratamento de água e esgoto nas indústrias, indo de acordo com leis ambientais do governo federal, mostra que a preocupação com o meio ambiente já está inserida, como é proposto por setores que trabalham a economia verde.

A recuperação de mata nativa, em empreendimentos imobiliários, que surgiram grandes condomínios residenciais e comerciais, também é um reflexo de que é preciso rever o conceito de como a natureza está sendo tratada.

Indústria e comércio reaproveita o ferro

No setor industrial, a modalidade de sustentabilidade começa a tomar forma, com o uso de reaproveitamento de sucata ferrosa em algumas máquinas industriais, e, até mesmo, em produtos que são reutilizados na indústria automobilística.

Em um único carro, boa parte das peças de plástico podem ser reciclados, assim como toda a estrutura composta por ferro, diminuindo consideravelmente o uso de matéria-prima da natureza, como minério de ferro, alumínio e o petróleo.

O consumo de água e eletricidade também diminui bastante, que é outro ponto positivo quando se pensa em sustentabilidade.

As empresas que fabricam peças de inox para o setor culinário, com baixelas, apoiadores de pratos e copos, entre outros produtos, já aproveitam o material que é descartado, em pontos de coleta seletiva, distribuídos em lugares estratégicos dos municípios.

Panelas, talheres e porta-guardanapos também se aproveitam deste material, que é fartamente dispensado, quando surgem sinais de desgaste.

Todo o material que vai ser reciclado precisa passar por diversos processos de transformação, mas a sucata de ferro pode se transformar, até mesmo, em obras de arte, com o tratamento adequado para as peças a serem trabalhadas.

Muitos artistas plásticos trabalham com este tipo de matéria-prima, para construir verdadeiras obras de arte, que estão espalhadas por praças e jardins públicos, com uma longevidade incalculável, dependendo apenas da ação do tempo.

A indústria de bebidas reaproveita, em larga escala, a sucata de alumínio, nas próprias latas que são disponibilizadas para os consumidores.

Este é um dos produtos mais reciclados no Brasil, fazendo parte da cadeia produtiva em quase cem por cento de reaproveitamento.

No setor comercial, que se aproveita bastante de matéria-prima que pode ser reaproveitada, está o setor de serralheria, que reaproveita portões que já não garantem a segurança de um local, e utiliza para a transformação em um novo ferro fundido, que recebe tratamento ideal, garantindo a segurança onde é instalado, ou, até mesmo, reinstalado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *