Um dos motivos do aumento da procura por poços, é a preocupação com a falta da água, e esta é uma necessidade básica da humanidade. Um poço artesiano traz uma perspectiva de segurança, mas é preciso alguns cuidados ao escolher os poços.

Poço artesiano, da arte milenar ao desenvolvimento tecnológico dos dias atuais

Os poços artesianos são marcados por não ocuparem espaço na superfície, com a perfuração próxima ao local de uso, permitindo certa autonomia de abastecimento. Outra vantagem dos poços artesianos é que as águas subterrâneas sofrem menor influência nas variações climáticas e são as maiores reservas de água doce disponível, possuem, em geral, melhor qualidade química, biológica e física – além da água subterrânea ter vulnerabilidade reduzida a agentes poluidores provenientes da superfície.

Um poço artesiano, ao ser construído, deve passar por um processo de estudo geológico da área a ser utilizada, analisando as condições favoráveis para captação de águas subterrâneas, através da perfuração profunda de rochas.

Atualmente, a tecnologia desenvolvida permite executar perfuração de poços em qualquer tipo de terreno. Isso se deve aos estudos prévios sobre o solo, os tipos de formações geológicas e todas as pesquisas realizadas por geólogos e hidrogeólogos, que formam um grande acervo de publicações bibliográficas – que aparecem, muitas vezes, em forma de mapas.

A perfuração quando feita em rochas cristalinas, é preciso fazer a cimentação do espaço entre a superfície e o topo da rocha, pois a captação de água no cristalino é mais limpa e extraída das fissuras nas rochas, as quais concentram reservas em suas fendas.

Quando em rochas sedimentares, é necessária a utilização de tubos com ranhuras – chamados de filtros e pré-filtros, pedras e minerais, que auxiliam na filtragem da água. Toda partícula de matéria envolvida na complexidade da rocha faz parte de um conjunto de sustentação da nossa vida no Planeta Terra, sobretudo quando pensamos na água. Por isso, também, a perfuração de poços é extremamente sensível, podendo interferir nos milhões de anos de formação e história geológica.

Contudo, a obra merece o respeitoso cuidado, desde a fase de planejamento, preparação, durante e a posterior – com a correta manutenção, e constante acompanhamento de trabalhadores qualificados.

Cada vez mais, muitos setores utilizam as águas subterrâneas como fonte de abastecimento, com resultados eficientes. Assim sendo, a perfuração deve ser realizada, a partir do estudo detalhado da área, de acordo com as seguintes condições:

  • diâmetro mínimo de 100mm;
  • ser constituído por revestimento rosqueável;
  • material de PVC (geomecânico) ou Aço Inox (tubo liso);
  • filtro com ranhuras, variando entre 0,4mm a 0,6mm de abertura;
  • abertura com extensão variável de acordo com o nível d’água;
  • considerar a variação sazonal da região;
  • extremidade inferior deve ser fechada com tampa rosqueável.

O cuidado com a contaminação do solo é fundamental, por isso, é importante que seja implantado o poço de monitoramento. Esse poço é utilizado em diversas circunstâncias, com a finalidade de obter amostras de água subterrânea, verificando através das análises físico-químicas, a qualidade hidrogeológica e os índices de contaminação.

Os poços de monitoramento passam por serviços de inspeção e análise que fornecem indicadores de contaminação, como PAH e BTEX no caso de hidrocarbonetos. A norma da ABNT, NBR 13895, informa sobre a responsabilidade sobre tais obras – e suas regras são rigorosas, monitorando e auxiliando, sobretudo, as áreas de resíduos sólidos poluentes, como aterros sanitários e lixões, posto de serviços de abastecimentos, e demais locais fragilizados com possibilidade de vazamentos.

No mercado, encontra-se o poço artesiano preço por metro, variando de acordo com as necessidades durante o processo, levando em conta os custos, após a perfuração, com cabos e quadros elétricos, tubulação do poço, luvas, bomba submersa, tubos edutores, até o hidrômetro, cavalete, reservatório de água, etc.

Além de variar conforme o volume produzido, tipo de rochas que serão perfuradas (duras ou brandas), profundidades dos níveis de água, entre outros. A partir deste levantamento, calcula-se a soma de todo serviço e material utilizado, dividida pela metragem perfurada, para saber o valor do metro da perfuração, que varia entre R$150,00 a R$ 500,00 o metro.

Poço semi artesiano: uma alternativa atrativa, competitiva e de qualidade

O poço semi artesiano é um poço tubular bastante profundo, o qual exige um sistema de bombeamento, fazendo com que a água captada chegue à superfície. Ele capta água de perfeita qualidade, com alto nível de pureza microbiológica e grande quantidade de sais minerais.

O poço semi artesiano preço por metro também varia conforme o processo de perfuração, no entanto se mostra bastante competitivo no mercado, com seu custo variando em torno de R$ 70,00 a R$500,00 o metro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *