transporte de resíduos perigosos, bem como o descarte correto, faz parte da rotina de gestão de resíduos dentro de uma empresa. No entanto, é necessário haver um planejamento no qual esses resíduos são identificados e classificados de acordo o grau de periculosidade.

Neste sentido, existem os resíduos perigosos, não perigosos e recicláveis. Assim sendo, depois de identificados, acontece a coleta de resíduos industriais, que deve ser feita de maneira completamente adequada.

Por essa razão, separamos tudo o que você precisa saber sobre como destinar corretamente os resíduos industriais. Confira a partir dos demais tópicos.

 

Políticas ambientais no descarte de resíduos

As atividades industriais são intensas e, consequentemente, uma grande quantidade de resíduos industriais precisa ser descartada. Pensando por esse lado, o Ministério do Meio Ambiente em conjunto com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis desenvolveram o inventário nacional.

De acordo com a legislação ambiental, os produtores de resíduos (indústria) são obrigados a cuidar do gerenciamento, transporte e tratamento, bem como a destinação final de resíduos sólidos.

Ainda assim, cabe lembrar que esse processo deve ser contínuo, ou seja, precisa acontecer ininterruptamente. Neste sentido, espera-se que as empresas invistam nesse tipo de tratamento de coleta de resíduos, por meio de equipamentos tecnológicos e instalações de tratamento e disposição de resíduos.

 

Resíduos industriais: perigosos VS não perigosos

Os tipos de resíduos são classificados de acordo com a norma NBR 10.004, assim como a Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. Assim sendo, a classificação do resíduo se dá por meio do tratamento e descarte correto. Em suma, existem três categorias básicas:

 

Resíduos industriais de classe I (perigosos)

Este tipo de resíduos é aquele que apresenta algum risco perigoso, podendo ser identificado por meio das seguintes características:

  • Toxicidade;
  • Inflamação;
  • Corrosivo;
  • Dentre outras.

 

Tintas e produtos de cosméticos entram nesse quesito, pois apresentam periculosidade de nível I.

 

Resíduos industriais de classe II A (não inertes)

Neste caso, os resíduos não são perigosos e muito menos inertes, ou seja, não possuem aspectos de periculosidade à saúde ou natureza. As principais características desse tipo de resíduo é a combustão, biodegradabilidade e solubilidade em água.

 

Resíduos industriais de classe II B (inertes)

Os resíduos industriais ou não perigosos e inertes são aqueles que, uma vez submetidos a testes de solubilização, não causam nenhum de seus constituintes solubilizados em concentrações discrepantes aos padrões de potabilidade da água.

 

Quais as consequências do descarte incorreto?

O destino final de resíduos sólidos legislação determina que, quando descartado de forma incorreta, os resíduos industriais causam vários impactos negativos ao meio ambiente.

Por conta disso, algumas normas e legislações foram elaboradas, a fim de assegurar e orientar sobre os procedimentos necessários acerca do manuseio, transporte e destino das matérias.

Tudo para proteger o meio ambiente e, especialmente, a população das consequências do descarte incorreto.

 

Consequências do descarte inadequado

A grande maioria dos resíduos produzidos pelas empresas é de caráter tóxico e perigoso. Deste modo, o deslocamento de resíduos perigosos, assim como o próprio descarte, pode provocar modificações nas características do solo e da água.

 

Perigo à saúde e crime ambiental

Vale salientar que o descarte incorreto de resíduos industriais é caracterizado como crime ambiental. Além de poder gerar multas caríssimas, a empresa que faz tal ato pode perder os certificados ambientais.

Confira as principais leis que tratam sobre o gerenciamento de resíduos:

  1. Lei 11.445/2007 – Política Saneamento Básico;

  2. Lei 12.305/2010 – Política dos Resíduos Sólidos;

  3. Lei 6.938/1981 – Política Meio Ambiente.

Neste último caso, a política define que o poluidor é obrigado a pagar indenização pelos danos ambientais que causar.

 

Insatisfação dos clientes

As empresas que não tratam os processos acerca do descarte de resíduos perde credibilidade. Isso porque, atualmente, muitas pessoas se conscientizaram sobre a importância de preservar o meio ambiente. A partir desse ponto de vista, os clientes se tornaram cada vez mais exigentes na hora de solicitar produtos.

Para não perder mercado e aumentar seus lucros, as organizações devem buscar opções para descartar e tratar os resíduos, e não descumprir as leis ambientais, que já estão em vigor no Brasil.

 

Benefícios do descarte correto de resíduos

Quando acontece o tratamento, transporte e descarte corretos de resíduos, não há danos nocivos à natureza ou até mesmo à saúde humana.

Por sua vez, o descarte adequado traz outros benefícios, como a sustentabilidade, uma vez que existem resíduos que podem ser reaproveitados no ambiente industrial.

O reaproveitamento contribui para o desenvolvimento sustentável, pois menos recursos são postos no lixo. Imagina se um objeto que demora anos para decompor voltasse para dentro da indústria, mas com outra função? Isso é o reaproveitamento, que mantém o ambiente livre de poluidores.

Portanto, descartar resíduos de maneira correta é garantir a qualidade e credibilidade da empresa, além, é claro, de assegurar a preservação do meio ambiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *